domingo, 30 de maio de 2010

resposta




Silvio Prado

lágriamas pretas


m
as
uma vez
se redimiu
olhando este
estranho rosto no
espelho procurando
algum traço familiar
algum que fizesse...
quando no vazio dos
seus olhos verdes
emergiu uma negra
solitária
lágri
ma
..
.



Silvio Prado

quinta-feira, 27 de maio de 2010

ouvido-penico



*clique na imagem para ver melhor


Silvio Prado

quarda-te-lá


*FOTOGRAFIA SILVIO PRADO





se você
chora sem saber
se você
não sabe
onde está
guarda-te-cá

agora
se você
sabe onde está
se você
está onde quer
quarda-te-bem





Silvio Prado

quarta-feira, 26 de maio de 2010

terça-feira, 25 de maio de 2010

reticência



*clique na imagem para ver melhor



Silvio Prado

código de barras




||||||||||||||||||||||||
BR   Lunetta  Blog  Lunetta Poesias



Silvio Prado 

onda

~~
~~~~
~~~~~~
~~~na~~~
~~~areia mórbida~~~
~~~~~~~da praia~~~~~~~
~~~~~~~~olho a última onda~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~do mar~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~chorar aos meus pés~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~mórbido~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~sinto na cara~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~o último beijõ~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~da onda~~~~~~~~~~
~~~~~~acordando-me~~~~~~
~~~~~~~no mar~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


* 0s efeitos desse poema foi inspirado no belisimo poema de Ana Oliveira (Hemisfério Norte) do blog com tacto


...onde começa o plágio e onde termina a originalidade. tu sabes?

Silvio Prado

domingo, 23 de maio de 2010

<<<---->>>

notei que à medida que meu corpo
se detinha e ansiava de desejos
ela mais me olhava...será que...
será hoje?


não é possível pois nela
ainda encerra matrimonio!
entretanto percebo com clareza
embora seus olhares sejam fugazes!


perco-me no tempo
mas tento desesperadamente
viver o momento!..
ela me olhava... por amor? ódio?


morta de desejos
carente de prazer
tomará que seja
que seja então!


transporto-me a um campo árido
estéril de horizontes lumbres
onde somente uma arvore ressequida
apresenta-se
como um pássaro de rapina
a grasnar faminto e sujo
fujo do tempo me lanço ao vento
e espero que me ouça e me acenda...


que me liberte no momento
no prazer oportuno
que o momento me oferece!
obrigado






*4uatro elementos

lunetta




Silvio Prado

sexta-feira, 21 de maio de 2010

divagando ando



* Comentário Poema de Em@
" a preto e branco ou a cores você ilumina este blog  "






sonhando
de vagar
ando
andando

divagando
ando
sempre
sonhando

de vagar.


Em@


Silvio Prado

sifu mar




Silvio Prado

quarta-feira, 19 de maio de 2010

nosso coração


nossos corações se fundem
transformando-se emumsó (nó)

depois é jogado lentamente
num       
              a
               b
               i
               s
                m
                o

                i
                n
                f
                i
                 n
                 i
                 t
                 o
pelos nossos corpos embriagados

nessa queda
finita


mer
          gu
                    lhan
                                do
e afogando-se
no encontro apaixonado
de 2ois lagos ardentes

goza ferozmente as nuvens
de um mar desconhecido e viciador

emergindo agora extasiados e murchos
nossos corações agora
s    e    p    a    r    a    d    o    s

que restando em um desfecho múltiplo
o desejo e o contato
dos nossos lábios suados







Silvio Prado

segunda-feira, 17 de maio de 2010

anJO






Silvio Prado

soneto chuva de links


/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /

/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /

/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /

/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /
/  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /  /


* SONETO CONDENADO A NUNCA SER PUBLICADO (SE REVELAR) EM UM LIVRO DE PAPEL


Silvio Prado

universo imaginário


olhos fechados
centro de um
 uni(verso)imaginário

sem fim, meio
ou começo de um
uni(verso) imaginário

com ser, sido
ou sem ter sido um
uni(verso) imaginário



Silvio Prado

domingo, 16 de maio de 2010

narciso



*clique na imagem para ver melhor



Silvio Prado

cego

*Fotografia Silvio Prado - Camping da Dora - Tibagi,Pr


a beira
de um pequeno rio
rezei a Deus
para ver um milagre

tudo que vi
foi o pequeno rio
v    a    g    a    n    d    o
divinamente




Silvio Prado